Yellow Gastropub, em Casa Amarela, é completo do bar à cozinha

Nota Geral

Já disse várias vezes neste recinto blogal que cerveja, aquela que se enquadra na loira geladíssima vendida em toda esquina, nunca me atraiu. Acho o gosto ruim. O cheiro, insuportável. Bebo quando não há outra alternativa senão morrer de sede. Por isso o tal programa “cerva com amigos” só tem chance com minha pessoa se o bar for abastecido de comida boa. Coisa que o Yellow tem de sobra. E lá, eu – fraquinha para álcool – ainda arrisco uns bons goles porque a carta de drinques é fantástica! Antes de falar da casa ou das opções do menu, eu preciso apresentar vocês a Junior e Juliana, os donos do estabelecimento. Ele, ex-morador do Sul do País, é expansivo, brincalhão, vai em todas as mesas cumprimentar os clientes, apresentar e explicar as bebidas que prepara. Ela, um doce. Pernambucana, tranquila, tímida, de voz baixinha e confortável, mão cheia na cozinha. Se completam na personalidade e no trabalho. Os dois foram apresentados por uma amiga em comum para unir talentos – coquetelaria e culinária – e montar um espaço. Acabaram se apaixonando e hoje são pais de uma bolinha. O Yellow é tipo filho também e já tem nove meses. Vocês precisam ir conhecer. É tudo bom, minha gente, impressionante.

yellow2SALTIMBOCA YELLOW Lombo de salmão temperado com sálvia, envolvido em capa de bacon, salteado no azeite, com molho de mostarda e mel, acompanhado de tabule. R$ 28,90.

A principal característica da casa é o toque artesanal que os donos colocam em tudo. Tipo o azeite defumado que vai no hambúrguer. Juliana deixa um carvão em brasa dentro do azeite por alguns minutos, depois passa na peneira e serve. PQP! Num é pouco bom não, viu? O gostinho delicioso do churrasco tá lá, mas sem a química dos defumados industrializados. O Fish’n Chips (R$ 35,90) – não tem foto aqui porque comi uma outra vez – é tilápia empanada que acompanha um ketchup de tamarindo de comer e fazer ola. Estou desmaiada aqui só de lembrar. Ela que faz e você não encontra em lugar nenhum. A bicha é boa na cozinha, viu? Tirando o hambúrguer, praticamente todos os pratos podem ser divididos. O Saltimboca, bancon enrolado no salmão, é absurdo. Meu Deus do céu. Esses dois ingredientes nasceram para ser servidos juntos. Por causa da gordura que a carne solta, o peixe fica numa suculência… O tabule que vem junto (receita árabe que leva várias verduras picadinhas, hortelã e trigo usado em quibe) equilibra a parte oleosa do prato por ser super levinho e refrescante. Serve bem três pessoas. Ou uma só que tem olhão, tipo eu. No menu também existem ótimos pedidos pra quem não come carne vermelha. Entre os curries está o vegano (foto do topo), ótimo para partilhar também. Vem em porção generosa, bem condimentada, com molho de tomate caseiro e uma cestinha de pães. R$ 23,90. Frango e cordeiro são as outras versões do prato. Juliana usa bantante peixe nas preparações. Isso pra mim é qualidade das melhores porque Felipe tem algumas restrições alimentares e o cardápio é quase todo amado por nós. ♥

yellow8SALMÃO CROCANTE Filé de salmão temperado com limão siciliano e cardamomo, em papilote de papel de arroz salteado no azeitte, acompanhado por vinagrete de maracujá e mini-salada refrescante. R$ 23,90.

Para experimentar, da última vez que fui escolhi o salmão com capinha de papel de arroz. Ele vem sobre um vinagrete de maracujá delicioso. Juliana me ensinou: é basicamente a polpa da fruta misturada com azeite e hortelã. Está autorizado fazer em casa e tomar de jarra. Só acho que esse prato não deveria estar na parte “Grandes fomes” do cardápio. É super pequeno e só rola pra beliscar mesmo. Não forra nem meio bucho. Mas, reforço: a comida da chef é ótima. Cheia de sabor, de dar gosto comer, e sempre com um toquezinho que você só encontra por lá. Ideal para beliscar com amigos enquanto toma um coquetel. Aaaah, vamos falar delas. As misturinhas de álcool. Pra vocês terem noção do capricho do Yellow, todos os ingredientes usados nos drinques são preparados à mão por Junior. TODOS! Essências, infusões, sucos. Ele só não faz as bebidas (vodca, tequila, espumante, whisky, etc) porque não pode. Mas já avisou que é questão de tempo. hahah Eu não sei se vocês conhecem, mas o moço é o Dr. Drinks, do blog Papo de Homem. Web celebrity, gentchi. Acho muito legal o que ele faz por trás do balcão. Nada de lugar comum, sabe? Suco de cranberry passa longe. Você bebe as coisas e é sempre uma surpresa. Não dá pra saber se vai ser uma pancada ou um afago. Sério. Por exemplo, o Pax Mater, inspirado na personalidade de Juliana, tem espumante e mel de lavanda e é uma tranquilidade. Suave, fácil para o paladar, mas cheio de nuances. Meu favorito. Pra ir degustando bem devagarzinho. Já o Auto da Conceição é um tapa na cara. Feito com bourbon (infusionando em manteiga de garrafa), vermute de morango e chá preto. R$ 13,90. Assim que você bebe é supapo. Para fortes, já deixo avisado. Mas vai amaciando depois, por causa da manteiga. Sensações interessantes.

yellow drinquePAX MATER Mel de lavanda, manjericão, suco de lichia e de limão siciliano, gin finalizado com espumante e perfume de noz moscada. R$ 19,90.

Outro levinho, desses que quando você vê já tá fazendo barulho com o canudinho, é o Brennand. Super refrescante. Bebi tão rápido que chega me asssustei com a facilidade. Meu paladar não suporta tanto àlcool, mas depois do segundo coquetel eu já tava profissional! hahaha E falando demais, segundo Felipe. Junior não perdoou minha fraqueza e tratou de fazer o último drinque pra fechar com qualquer chave, porque a essa altura eu já não distinguia ouro de prata. O Torre Barroca é delicioso e tem uma apresentação lindona. Quando você já tá mais pra lá do que pra cá, essa seringa com vermute vira uma festa particular. Nada mais importa. Reparem que ele só fez as opções levinhas e saborosas do cardápio, que eu conseguiria tolerar. Têm uns muito mais pesados! Quem não puder beber, ou não gostar mesmo, pode pedir uma das misturinhas não alcoólicas. A complexidade dos sabores é a mesma, só que sem o àlcool. Felipe tomou uma sensacional, a Bangkok Juice. Tava muito boa de verdade. Da próxima vez, só vou nela. Preciso, um dia sequer, voltar do Yellow sem estar alegremente embreagada. 🙂

yellow5BRENNAND Cynar, verute de morango, suco de lichia, gin, Cointreau e bitter (essência) de cardamomo. R$ 15,90.

yellow9TORRE BARROCA Vermute de morango (na seringa), shrub de caju (uma espécie de vinagre) e espumante. R$ 15,90.

SEM ÁLCOOL!yellowBANGKOK JUICE Coquetel de abacaxi, gengibre e capim-limão. R$19,90.

Considerações finais: o lugar é massa, a comida é foda, os drinks idem, a é música boa DEMAIS. O clima é super legal, para ir com os amigos bebericar e petiscar. A área externa, ao ar livre, é agradável. A interna é mais aconchegante. Só fui em dias de semana e foi uma paz. Sabe aqueles lugares infernais nos quais você não escuta a voz dos amigos? Não é o Yellow. A vibe é bem essa de sentar, conversar, comer e beber bem. Uma palavra pra você, pirangueiro, que ficou fazendo os cálculos de quantas cervejas compraria com o preço de um drink: melhore. Com um coquetel pauleira você fica infinitas vezes melhor do que com quatro latinhas. E ainda bebe algo gostoso e bem preparado. É isso. Escrevi demais. Yellow tá no meu corassaum.

Serviço

Yellow Gastropub
End.: Rua Conselheiro Nabuco, 190, Casa Amarela
Tel.: 8510-7937

Clique nas fotos para ampliar!

*A categoria “Serviço” não é julgada quando vou a um estabelecimento a convite. Sou sempre muito bem tratada, então não vale, né?

Categorias

Milenna Gomes

Criadora do NSC, Milenna é jornalista de gastronomia e mestranda em história da alimentação na Universidade de Coimbra. Recifense vivendo em Portugal. Críticas e sugestões: contato@naoseicozinhar.com

1 Comentário

  • Responder novembro 22, 2014

    JAIR LUIZ

    Confesso que eu e minha namorada ficamos bem entusiasmados em experimentar as iguarias do Yellow Gastropub. Tanto é que no dia que lemos sobre o bar aqui no seu blog, fomos visitar o local. Reconheço que os pratos e os drinks são fantásticos em todos os seus aspectos, beleza, sabor, cheiro e outros… como também o atendimento e a recepção feita pelo dono do estabelecimento é muito agradável.
    Apesar de todos os pontos positivos que citei, me decepcionei com o tempo de espera dos pratos e dos drinks. O primeiro prato (saltimboka) demorou cerca de 40 min pra sair, enquanto o segundo (escondidinho de porco) demorou um pouco mais de 30 min (obs: quando pedi o escondidinho, perguntei ao garçom se o prato era tão demorado quanto o outro e o mesmo disse que não, que o tempo de espera era muito rápido). Já os drinks, o primeiro saiu muito rápido (bebida sem alcool) , enquanto os outros 2, que pedi em seguida, demoraram 25 minutos para chegar na mesa. Não sou muito exigente, quanto ao tempo, quando frequento um restaurante, porque sei que me fartarei (na maioria das vezes) quando a comida chegar, mas quando se trata de um bar ou algo do gênero, eu acho que a saída dos aperitivos e bebidas não deve ser demorada, pois o consumo é rápido e os pedidos são constantes. Infelizmente não tive a oportunidade de falar isso para o dono do bar, mas acredito que depois alguém comentará com ele sobre isso e espero que essa falha seja retificada, pois o lugar é muito bom e tem potencial.

Deixe um comentário