Um sábado no Rio de Janeiro

Esse post é para quem já foi no Cristo, no bondinho, no Jardim Botânico, na Lapa, nas praias e tem vontade de fazer alguma outra coisa na Cidade Maravilhosa. Mas, segura! Pra dançar creu seguir essas dicas tem que ter disposição. Fazia tempo que eu queria tomar café da manhã no Parque Lage (um casarão l-i-n-d-o com uma vista b-a-p-h-o). Como não tinha conseguido numa viagem anterior, me organizei para ir nessa. Tava tão focada em não me estapear com o povo para garantir uma mesa – li em vários sites que isso é bem comum – que cheguei lá às 7h30. A área do restaurante só abre às 9h, então não tinha uma alma viva na minha frente. Me agarrei na grade, finquei os pés e marquei meu lugar. A louca.

Tome café no Parque Lage

Chegue umas 8h30 que tá bom. Entre na fila e escolha uma mesa para comer. Achei as de frente para a piscina as mais agradáveis. É a chance de você ser imortalizado no fundo das fotos de todos os trilhões de ensaios românticos que o povo faz por lá. O cenário é deslumbrante, viu? Um dos lugares mais bonitos do Rio, certamente. Snoop Dogg e Black Eyed Peas são alguns dos artistas que têm clipes gravados no palacete. Não sei a história do casarão, mas hoje funciona como a Escola de Artes Visuais, com várias exposições pelos cômodos e casinhas do entorno.

O menu tem várias coisinhas legais, mas, pra mim e Felipe, o mais interessante foi o café comum, que custa R$ 69 e serve bem duas pessoas. Ovo mexido, queijo Minas, fruta, granola, iogurte, requeijão, vários pães, capuccino e suco estão inclusos. A vista, e a entrada, são grátis. 🙂

Rio 2 Rio 2

Passeie pela mata do Parque

De buchinho cheio, vai circular pelo meio do mato, na mesma propriedade do casarão. Que lugar, minha gente! Fica bem pertinho do Jardim Botânico e faz parte daquela região de mata preservada. Passei umas duas horas explorando. Tem ponte, aquário, trilha, lago, macaquinhos. Uma coisa linda. Como verde é bom.

Rio 3 Rio 6 Rio 8 Rio 7Rio 4 Rio 16

Seja feliz no chorinho da General Glicério

De lá, partimos para o chorinho da praça General Glicério, nas Laranjeiras. O ônibus (linha 582) que segue para esse bairro passa em frente ao Parque Lage, tem um ponto quase na porta, é só atravessar a rua. São 20 minutinho a queridos R$ 3,80. O chorinho é uma delícia. Tem uma feirinha de frutas, hortaliças e temperos que acontece aos sábados, no mesmo lugar. As pessoas se juntam para comprar os mantimentos, mas aproveitam e comem pastel, tapioca, tomam cerveja, cantam e dançam. Começa a partir das 11h e foi uma das coisas mais legais que fiz. É bem espontâneo e informal, mas nem um pouco amador. A música é boa, bem tocada e cantada. Com gente feliz em volta, num bairro arborizado e bem cuidado. Me senti carioca. Pena que acaba cedo: às 16h encerrou.

Rio 10 Rio 9 Rio 11

Almoce no Frida, nas Laranjeiras

Estava com Felipe e me encontrei com minha amiga linda, musa da vida, Luana Pimentel, que mora em Sampa, mas estava no Rio para o fim de semana. Sorte minha! Depois de sambar muito, Clarice, prima dela que também estava conosco e mora no Rio, sugeriu matar a fome no Frida, um restaurante pequeno e simpático, com comida gostosa e preço bem justo para os padrões cariocas: pratos entre R$ 35 e R$ 45. Fomos andando, era bem no fim da rua, e foi uma ótima dica. Encerramos a tarde lá, depois de algumas cervejas e um dia bem feliz.

Rio 14 Rio 13 Rio 12

Vai sambar na Gamboa

Mas, não acabou! Voltamos pra casa, descansamos e seguimos para o Trapiche, casa de festa super tradicional no centro do Rio. Tem um samba ótimo por lá, que, aliás, é o mesmo lugar onde gravam o Samba na Gamboa, com Diogo Nogueira. A entrada custa R$ 25. Começa umas 22h e vai até às 3h. Gente, É MUITO BOM. Mesma acabada do dia inteiro, vai. Vale muito a pena.

Serviço

Parque Lage
Endereço: Rua Jardim Botânico, 414, Jardim Botânico.
Informações: (21) 3257-1800.

Frida Bistrô
Rua General Glicério, 440, Loja D, Laranjeiras.
(21) 2285-7418

Trapiche
Endereço: Rua Sacadura Cabral, 155, Gamboa/Saúde (Centro do Rio).
Informações: (21) 2516-0868
www.trapichegamboa.com.br

Milenna Gomes

Criadora do NSC, Milenna é jornalista de gastronomia e mestranda em história da alimentação na Universidade de Coimbra. Recifense vivendo em Portugal. Críticas e sugestões: contato@naoseicozinhar.com

1 Comentário

Deixe um comentário