Onde comer em Cusco #1: Sofisticação e bom preço

Pessoas liiindas! Voltei cheia de novidades dessa viagem MARA a Cusco, no Peru. Andei muito, vi paisagens inacreditáveis, dormi sem limites e, claro, comi loucamente porque eu não tenho a menor pena de gastar meus trocados to-dos em alimentação. Fiquei lisa, sério. Gastei meus últimos dois soles (a moeda de lá) em um chiclete Clorets no aeroporto. hahah Mas voltei feliz. E nem posso reclamar de dinheiro. Comida lá é MUITO barata e se não fossem os passeios incríveis (visitaria o Machupicchu todos os dias!) eu teria torrado tudo em restaurante. Foram tantas opções de menus que seria preciso viajar mais umas 20 vezes para poder provar tudo e eu iria sem nem piscar. Por isso, tchan-tchan-tchan-tchan, a semana aqui no bloguinho vai ser dedicada a Cusco e seus sabores. Sei que Lima tem a reputação de capital gastronômica da América Latina, há quem considere até do mundo, mas decidimos (eu e Felipe) fugir um pouco de metrópoles. Não nos arrependemos e, em se tratando de comida, passamos muitíssimo bem. 🙂 Começo essa sequência de posts com a dica de dois lugares que unem boa gastronomia, ótimo serviço e preço justo. Para quem não quer errar!

Lembrando que, em julho de 2013, R$1 (um real) equivale a S/. 1,23 (um sole e vinte e três céntimos)

1. CICCIOLINACicciolina. Foto: Não Sei Cozinhar/Milenna Gomes

Se você associa o nome Cicciolina a uma atriz pornô da Europa Central, sinta-se velho, camarada! kkk Foi a primeira coisa que Felipe (adolescente dos anos 80) falou quando chegamos ao restaurante. hahahah O lugar é dica do Trip Advisor (meu melhor amigo nessa viagem) e me lascou bonito, minha gente. Bo-ni-to. Como fizemos a primeira refeição oficial lá – na companhia dos queridos amigos Bia e Brenos – acabei nivelando todos outros locais me baseando nele. Ou seja, nada era bom o suficiente! Mas isso aconteceu apenas nos primeiros dias. Depois, demos a sorte de conhecer estabelecimentos tão legais quanto (e até por um preço menorzinho). O fato é que o Cicciolina foi memorável. Pratos de apresentação impecável, serviço atencioso – era preciso muita paciência do garçom para explicar os pontos do cardápio a pessoas com inglês insuficiente e espanhol vergonhoso – e preparações de fazer as papilas dançarem. Numa interpretação pessoal, acho que o menu de lá é um cusquenho contemporâneo porque tem itens da culinária tradicional (como cuy, alpaca, truta) com leituras bem atuais. O valor dos pratos fundos – como eles chamam o principal – fica numa média de S./50 (uns R$40). Esse valor é inacreditavelmente alto para os padrões de Cusco e foi nossa refeição mais cara, no entanto uma das mais prazerosas.

Cicciolina Foto: Não Sei Cozinhar/Felipe Peres Calheiros
ENTRADA 1 Cuy confitado sobre camadas de purê de batatas (lá tem centenas de variadades) com creme de ají amarelo mais maçãs carameladas. S./29 {tava uma delícia, mas essa foi a única vez que comi cuy/porquinho-da-índia. eu já tive hamster, gente, peso na consciência ;/ }

ciciolina cusco
ENTRADA 2 Mariscos parrilhados cobertos com um molhinho doce-picante mais salsa e fios de arroz fritos. S./28 {são frutos do mar (em volta de Cusco só tem rio, avalie), mas vá sem medo. foi a melhor entrada e eu não morri}

Foto: Não Sei Cozinhar/Felipe Peres Calheiros
PRINCIPAL 1 Linguini tingido com tinta de lula servido com camarões e molho de leite de coco. S./36 {d-i-v-i-n-o}

Foto: Não Sei Cozinhar/Felipe Peres Calheiros
PRINCIPAL 2 Truta com molho de leite de coco e nhoque de batata doce sobre cama de wasabi. S./43 {o peixe chegou mal passado, mas o nhoque com a manteiguinha de wasabi…gente do céu! às vezes sinto o gosto na boca} 

Foto: Não Sei Cozinhar/Felipe Peres CalheirosServiço

Cicciolina
End.: Calle Triunfo, 393, Cusco
(fica no segundo andar de um sobrado, em frente a um mercado de artesanato. mapa aqui)

2. GUSTITOS DE LOLIFoto: Não Sei Cozinhar/Felipe Peres Calheiros

O Gustitos de Loli seria nossa primeira refeição oficial se não estivesse fechado no dia (o Cicciolina foi o plano B). Demos de cara com a porta mais uma vez numa segunda tentativa. Na última noite em Cusco, resolvemos apostar na terceira chance e tivemos sorte. E que sorte! O Gustitos é simples, despretensioso, sem frescura e serve comida de qualidade por um preço justíssimo. Uma preciosidade perdida num beco de Cusco – e acho que ser tão escondido é um de seus melhores atributos. Fomos os únicos clientes por um bom tempo. Da nossa mesa era possível ver através da porta da cozinha a preparação dos pratos. Nosso atendimento foi realizado por um rapaz simpático que se alternava em nos perguntar se estava tudo certo e bater um papo com outro moço no bar. No restaurante estão dispostas umas cinco mesas, a luz é baixinha. A comida tem gosto de caseira, é suculenta e faz você ter vontade de lamber o prato. Imperdível.

Foto: Não Sei Cozinhar/Felipe Peres Calheiros
TAGLIATELLE Macarrão de salsa fresca preparado diariamente e servido com molho de queijos ao vinho branco com cebolas ao aroma de funghi. S./27 {apenas sentirei saudades eternas desse prato}

Foto: Não Sei Cozinhar/Felipe Peres Calheiros
TAGLIOLINI Bem parecido com o do Cicciolina, mas as tirinhas eram de truta e o molho tinha um toque de erva Lúcia-Lima (não conhecia) com aroma de coentro. O alho laminado e frito faz toda diferença. S./25 {tava delícia, mas Felipe achou que combinava mais com camarão} 

Foto: Não Sei Cozinhar/Felipe Peres CalheirosServiço

Gustitos de Loli
End.: Recoleta Angosta, 613, Cusco
Como chegar a partir da Plaza de Armas:
recoleta

PS.: O ChiCha, de Gastón Acurio – chef do hypadééérrimo restaurante Astrid y Gastón, número 14 do mundo -, é uma opção interessante para visitar em Cusco, mas (pelo que li nos comentários pela internet) é ame-o ou deixe-o. Muita gente desceu o pau dizendo que é muito caro e não é bom. Preferimos não arriscar. Se você for, não esquece de vir aqui me contar. 🙂

Milenna Gomes

Criadora do NSC, Milenna é jornalista de gastronomia e mestranda em história da alimentação na Universidade de Coimbra. Recifense vivendo em Portugal. Críticas e sugestões: contato@naoseicozinhar.com

13 Comentários

  • Responder julho 15, 2013

    Rodolfo Nícolas

    Só queria dizer que Cicciolina também é famosa por ter sido uma engajada deputada italiana!

    • Milenna Gomes
      Responder julho 15, 2013

      Milenna Gomes

      HAHAHHAHAHAHAHHA ela é Húngara!

      • Responder setembro 5, 2016

        Marco

        Mas foi deputada na Itália…

  • Responder julho 15, 2013

    Ranny

    Fiquei com água na boca ao ler esse post! SÉRIO!
    Conseguiram retratar tão fielmente que por alguns instantes foi como se tivesse viajado com vcs Tb. Já estou louca para ver os próximos. Bjs

    • Milenna Gomes
      Responder julho 19, 2013

      Milenna Gomes

      Rannyyyyyy, faz a mala e vai conhecer pessoalmente. ;***

  • Responder julho 15, 2013

    Leon

    Pô, nega! Não foi só Felipe que pensou na lendária atriz pornô, não. hehehe! Valeu pelas dicas. Quando for a Cuzco, vou lá nesses lugares. beijo

    • Milenna Gomes
      Responder julho 19, 2013

      Milenna Gomes

      Vai mesmo! E fala com agente pra pegar umas dicas de passeio. Beijoooo

  • Responder julho 15, 2013

    Bruno

    E aí Milenna gostaram de comer a Cicciolina?

    Péssima piada. Parabéns pelo post. Fez Cusco parecer um lugar delicioso para se visitar e principalmente para se refastelar.

    Um abraço
    Bruno, Queli e Gabriela

    • Milenna Gomes
      Responder julho 19, 2013

      Milenna Gomes

      HAHHAHAAH Piada péééssima!
      Obrigada, Bruno.

      Um beijo na família.

  • Responder dezembro 9, 2014

    Roxane Oliveira

    Só de pensar que em pouco mais de um mês estarei nos Altiplanos, me dá arrepios. Muito obrigada por colaborar por esse maravilhoso tour gourmet. Eu sou amante da boa mesa, sendo da alta gastronomia, ou da mais pitoresca, eu amo!

  • Responder junho 9, 2015

    Clara Azeredo

    Olá Milenna! Pesquisando sobre restaurantes em Cusco acabei chegando no seu blog! Muito bem escrito por sinal, parabéns!!
    Aproveito para tirar uma dúvida… tenho lido alguns comentários de pessoas que passaram mal após comer em Cusco, intoxicação alimentar acredito eu. Queria saber o seguinte: você acha que isso depende de onde se come ou isso depende mais da pessoa mesmo? Meu noivo por exemplo não pode comer comidas muito apimentadas, temperadas.. Mas de qualquer jeito é bom fugir de ambientes que não sejam “apresentáveis”, digamos assim? rs
    Estou indo em agosto para Cusco – MP e estou anciossísima!! =)
    Obrigada desde já!

    • Milenna Gomes
      Responder junho 14, 2015

      Milenna Gomes

      Oi, Clara! Obrigada. 🙂
      Olha, você precisa levar em consideração três coisas em Cusco:

      1) O lugar onde você vai comer – precisa ter um aspecto limpo, organizado. Alguns não aparentam uma boa higiene e eu não arriscaria comer frutos do mar neles, por exemplo. O oceano fica bem distante dessa região, logo…
      2) As pimentas – a comida peruana é bastante condimentada. O aji, pimenta local, é usado em tudo. Particularmente, acho até a mais forte bem levinha, mas pessoas sensíveis devem se certificar da dosagem antes de pedir o prato.
      3) A altitude – gata, Cuscuz é muuuuuuuuito alta. As pessoas passam mal só de estar lá, não me admira que qualquer comida, mesmo as bem feitas, caiam mal. Eu não sofri nada, mas vi muita gente enjoada, pedindo pra morrer. Para isso, tem chá de coca em toda esquina, de graça. Ele dá uma aliviada.

      Depois me conta da viagem! O Machu Picchu é o lugar mais maravilhoso onde eu já pus os pés.
      Bjsss

  • Responder julho 14, 2016

    Elaine

    Super indico o Gustito de Loli!! Comida divina e preço justo!! Peçam a guacamole de entrada!

Deixe um comentário