Risoto improvisado de galeto

Daí que deu vontade de comer galeto empoeirado (como mainha chama) no fim de semana e na segunda o bendito ainda tava quase inteiro na geladeira. Tinha um pouquinho de arroz arbório no armário – que sobrou de um jantar com amigos (eles cozinharam, claro) – e assim surgiu a grande ideia de improvisar um risoto de galeto para o almoço. E quando eu falo de improviso é dos grandes, moçada! O nome desse post poderia ser “A arte de transformar um galeto num prato elegante”. Ainda estou impressionada com o enorme sucesso da minha empreitada porque prestou, minha gente. PRESTOU! Quer coisa mais improvável de ficar boa do que um risoto de GALETO feito por mim? haha O legal é que dá pra fazer com todas as sobras do mundo: o camarão que era petisco, o resto do churrasco, o presunto que tá pra acabar. A imaginação é o limite. Limpa a geladeira e ainda mata a fome com estilo. 🙂

Só presenciei um risoto sendo feito uma vez, aí foi rezar e sair jogando os ingredientes pra ver no que é que dava. Então, fiz assim: refoguei cebola e alho em uma panela funda com muita manteiga (umas três colheres bem cheias). Aí joguei o arroz junto e dei uma misturada pra pegar gosto. Depois fui acrescentando aos poucos, e sempre mexendo, caldo de legumes (era o que tinha) quente. Dissolvi daqueles de saquinho mesmo porque preparar o original de galinha, feito da carcaça do bicho, ia ser esforço gastronômico demais para mim num dia só. Em seguida, antes de deixar cozinhar um pouco, eu me lembrei que risoto leva vinho branco. OIÊÊ? Não sei você, mas eu não tenho vinho branco dando sopa em casa na segunda-feira de manhã. Joguei cachaça mesmo, né fia? Meia xícara. Até porque galeto harmoniza muito melhor com uma caninha. c e r t e z a! Pergunta no boteco pega bebo da esquina… Arroz semi-cozido, é hora de acrescentar o frango desfiado, os temperos (os disponíveis eram sal e pimenta do reino branca) e o queijo parmesão ralado na hora. Como aqui em casa tem o queijo, mas não tem ralador (pode um negócio desses?), tasquei o de supermercado mesmo. Mexi, deixei cozinhando mais um tiquinho e voilà! A ryqueza e a pobreza juntas num paradoxo forra bucho.

PRODUÇÃO Pra ficar bonitinho assim eu coloquei numa xícara e desenformei. 🙂 Tô ficando profissa!

Milenna Gomes

Criadora do NSC, Milenna é jornalista de gastronomia e mestranda em história da alimentação na Universidade de Coimbra. Recifense vivendo em Portugal. Críticas e sugestões: contato@naoseicozinhar.com

5 Comentários

  • Responder novembro 6, 2012

    Michela

    Não é a toa que tem por sobrenome GOMES.

  • Responder novembro 6, 2012

    Rafaella Magna

    A prova de que com criatividade e cara de pau tudo pode dá certo! Kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk Amei a tua receita e juro que fiquei doida para provar. Vai ter que fazer para azamigaaas!

  • Responder novembro 6, 2012

    Sarah

    Vou agora pegar o resto dos petiscos do feriadão e fzr a mistureba chic… kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk…

  • Responder novembro 7, 2012

    Aline Daniela

    Pra quem diz que não sabe cozinhar, tá dando show de improviso! hahahaha
    Adorei!
    Bjooo

  • Responder novembro 19, 2012

    Bruno Lins

    https://www.facebook.com/restaurantemangiare

    Um ótimo restaurante, um ótimo atendimento, uma ótima comida e o melhor um preço camarada fui lá e indico, lembrei de você quando fui lá, acompanho seu blog a uns 7 meses e vejo vc batendo perna por ai, por isso a indicação.

    chero

Deixe um comentário