Procurando o presente do Dia dos Pais? Dê cerveja!

Neste Dia dos Pais, tá aqui um presente criativo e fácil de montar para quem tem um pai como o meu, apreciador de cervas:  um kit de cerveja gringa pra sair do convencional. Compra umas cinco, coloca um copo bonito junto, bota numa cesta e entrega pro seu genitor se divertir. 😉

As brejas premium, especiais, gourmet – ou como você preferir chamar – diferentes da nossa loira gelada, são mais fortes, encorpadas, ganham no teor alcoólico e, por serem degustadas em países beeeem mais frios que o nosso, são tomadas, em sua maioria, quentes. Fiz uma matéria sobre isso certa vez e aprendi que as marcas populares no Brasil são vendidas estupidamente geladas para disfarçar o gosto amargo e o cheio ruim (concordo demais!). Por isso beber uma cerveja international pode ser uma experiência no mínimo interessante para o seu pai. Há uns anos, levei uma artesanal (tipo alemã) pra painho provar e eu nunca vi uma criatura reclamar tanto do gosto de uma cerveja. HAHAHAHA  Tinha muito mais sabor, aroma e era pra ser tomada em temperatura ambiente, por isso ele estilou. Comecei já com os dois pés no peito, né? Vai com calma, passa o perfil do seu pai para os vendedores e pede para eles ajudarem na melhor escolha. Aí vão alguns estabelecimentos que vendem umas brejas diferentes.

Casa dos Frios

casa dos frios

A Casa dos Frios dispõe de rótulos de vários países e sabores (framboesa, chocolate), com preços que vão dos R$ 8 e uns quebrados a R$64. Fica a critério do seu bolso. Por R$64 eu prefiro dar um whisky, já que meu pai não é conhecedor do mundo das brejas gourmet e a cerveja mais cara iria descer na mesma velocidade da barata, sem ele nem ver diferença. Ah, tá rolando promo da Bitburguer (sem àlcool), que custa R$8,99. Na compra de seis garrafas o cliente leva um copo exclusivo da marca. E Schneider Weisse, que é vendida por R$24, tá por R$13.

Serviço
Casa dos Frios
Endereço: Avenida Rui Barbosa, 412 (não se a promo tá rolando na Boa Viagem também)
Telefone: (81) 2125-0220 / 2125-0230

DOC Distribuidora

doc

A DOC tá com um cardápio massa de cervejas belgas. São mais de dez rótulos cujas composições ganharam ingredientes como gengibre, cravo, baunilha, frutas e até pimenta (a Lúcifer, por exemplo, é ligeiramente picante). Eles também têm uma opção orgânica e sem glútem, a Mongozo Premium Pilsener, disponível em garrafa de 330 ml. Os valores de lá variam de R$9,90 (Vedett Extra White) a R$16,90 (Delirium Tremens).

Serviço
DOC Distribuidora
Endereço: BR-101 Sul, km 70, Curado, ao lado da Ceasa
Telefone: 3252.8900

Capitão Taberna

capitao taberna

A Capitão Taberna também vende garrafas de vários países e os preços variam de R$8 a R$189. Segundo a menina que me atendeu por telefone, as cervejas pilsen não comercias (diferentes dessas que a gente encontra em casa esquina) são ideais para pais cervejeiros de primeira viagem porque são bem levinhas e ganham disparado das pilsen nacionais em sabor, aroma e consistência. Ah, as cervas da Alemanha, da Inglaterra e da Austrália estão em promoção na loja.

Serviço
Capitão Taberna
Endereço: Rua João Tude de Melo, 77. Parnamirim.
Telefone: (81) 3204-8668
Horário: de seg, à sex. funciona de 11h às 21h, nos sábados e domingos, das 10h às 17h

UK Pub

uk

Na boate UK são vendidos mais de 20 rótulos entre nacionais e internacionais. Muitas das cervejas importadas são servidas em barril, pra quem tá lá, curtindo algum show. Mas você pode passar e levar umas garrafinhas pra casa sem precisar pagar o custo da entrada. Me informaram que a partir das 17h a venda já funciona. Legal, né? No portfólio da casa você encontra a Deus (se tem Lúcifer…), considerada a melhor do mundo – e deve ser a mais cara também, né, mais de R$200. Ela é ryca assim porque passa pelo mesmo processo de produção do espumante. As cervejas especiais mais humildes são comercializadas a partir de R$8,50 no lugar.

Serviço
UK PUB
Local: Rua Francisco da Cunha, 165 – Boa Viagem
Horário para a compra: a partir das 17h
Telefone: (81) 3465-1088

Milenna Gomes

Criadora do NSC, Milenna é jornalista de gastronomia e mestranda em história da alimentação na Universidade de Coimbra. Recifense vivendo em Portugal. Críticas e sugestões: contato@naoseicozinhar.com

Seja o primeiro a comentar