Polvo à lagareiro, uma receita portuguesa

Lagar é o lugar onde a azeitona é espremida mecanicamente para se extrair óleo, o azeite. As populações que viviam perto desses lugares, dada a fartura do ingrediente, criaram, ao longo dos séculos, várias receitas nas quais o azeite é protagonista. Sempre que você vir algo “à lagareiro”, que quer dizer “à moda lagareiro”, tenha certeza: a comida vai chegar inundada de azeite de oliva. Resolvi testar em casa o polvo – o bacalhau é o próximo – e ficou beeeeeem bom.

Comprei o polvo já limpo e congelado. O ideal é usar o fresco, mas era o que tinha. Deixei descongelar em temperatura ambiente. Fiz isso um dia antes e guardei na geladeira. A confecção do prato é muito simples, só que demora um tempinho, duas horas ou mais. Então, se programa e faz tudo com calma. Ah, o azeite não precisa ser extra virgem, já que no calor ele perde as propriedades. Pode usar um mais baratinho. Mas tem que ser azeite, viu? Senão não é à lagareiro. 🙂

Ingredientes

1 polvo limpo (o meu tinha 800g)
1 cebola
1 cabeça de alho
1kg de batatas pequenas
1 taça de vinho branco
400ml de azeite
Suco de um limão siciliano
Salsa, sal e pimenta a gosto

Modo de fazer

Leve o polvo para cozinhar em uma panela com água
Faça um corte cruz na cebola e coloque na panela junto com o polvo
Deixe cozinhar você espetar um garfo e ele estar macio (o meu passou uma hora no fogo)
Escorra, corte os tentáculos e a cebola
Coloque as batatas para cozinhar com casca e sal
Quando estiverem macias, esmurre com as mãos para que amassem levemente ou utilize o cabo de uma faca
Forre uma assadeira com as batatas e cubra com o polvo, a cebola e os dentes de alho descascados
Tempere com sal, pimenta e limão e regue com bastante azeite
Leve ao forno pré-aquecido a 180°C por 30 minutos
Regue com vinho vez ou outra e deixe dourar
Finalize com salsa fresca picadinha

Milenna Gomes

Criadora do NSC, Milenna é jornalista de gastronomia e mestranda em história da alimentação na Universidade de Coimbra. Recifense vivendo em Portugal. Críticas e sugestões: contato@naoseicozinhar.com

Seja o primeiro a comentar