Marcador de página | José e Pilar – Conversas inéditas

“Acho que se todos nós entrássemos na cozinha o mundo seria um pouquinho melhor. Claro que para isso teria que haver cozinhas no mundo todo, o que não há… Mas, enfim…Uma amiga minha, uma grande amiga minha, Dulce Chacón, estava com câncer e o marido, nos últimos dias da vida dela, da escassa vida que teve, porque morreu muito moça, nos mandava mensagens dizendo como estava Dulce, uma escritora traduzida para o português, e todo dia Miguel Ángel nos dizia como ia Dulce. Um dia recebi uma mensagem, nós, os amigos, recebemos. Evidentemente era um SMS, desses mandados a todos os contatos, que dizia: ‘A cozinha cheira a tomilho, algo está acontecendo, talvez seja vida’, assinado por Dulce. Morreu no dia seguinte. Ela saiu do hospital para morrer em casa. E na noite que passou em casa, como que reviveu, e foi para a cozinha. E da cozinha nos mandou a última mensagem, que era sua despedida. […] Desde então eu eu sempre digo que a cozinha… que o cheiro de tomilho é o cheiro da vida, e que se o mundo cheirasse a tomilho, vai ver que estaríamos em outra situação”.

Trecho do livro José e Pilar – Conversas inéditas

Muita gente deve conhecer o título desse livro e associar ao elogiadíssimo filme, homônimo, de Miguel Gonçalves Mendes sobre José Saramago e a esposa, Pilar del Río. Não vi o documentário, mas estou lendo a publicação e achando linda. São várias conversas do diretor com os dois, durante o processo de pesquisa para o longa, e que não foram para a película. Diálogos sobre vida, morte, trabalho, amor. Em um deles, Pilar conta essa história, de Dulce, uma grande amiga. Um dia antes de morrer, é na cozinha que ela se sente viva, por causa do cheiro de uma especiaria. Não é  incrível como a memória afetiva de algumas comidas pode deixar a gente feliz? Achei bonito e resolvi compartilhar com vocês.

josé e pilar

Milenna Gomes

Criadora do NSC, Milenna é jornalista de gastronomia e mestranda em história da alimentação na Universidade de Coimbra. Recifense vivendo em Portugal. Críticas e sugestões: contato@naoseicozinhar.com

2 Comentários

  • Responder dezembro 13, 2013

    Lorena Tapavicsky

    O filme é lindo demais! Já vi duas vezes.

    • Milenna Gomes
      Responder dezembro 15, 2013

      Milenna Gomes

      Vou assistir assim que terminar o livro. 😉

Deixe um comentário