Litoral sul de Alagoas: pequeno roteiro afetivo

No fim de ano, consegui uma folguinha na vida corrida e parti para Alagoas, terrinha que sempre nos acolhe (a mim e a Felipe) quando o tempo é curto e a vontade de viajar é grande. Ô lugar lindo. Sou dessas pernambucanas bairristas que acha tudo pelas bandas de cá melhor e mais bonito, mas o litoral de Alagoas não tem pra ninguém, não. É uma praia mais incrível que a outra. E é aqui do lado, né, gente? Para quem gosta de pegar estrada, quatro horinhas são nada! Isso porque sempre vamos para distante, o litoral sul do estado, depois da capital Maceió (chegamos a ir até Penedo, uma vez, às margens do São Francisco). Quem fica pelo litoral norte, mais próximo de Pernambuco, está muitíssimo bem servido também (Japaratinga, te quiero ♥). Só que, eu garanto, seguir pela estrada vale a pena. Ai, como é bom sair rodando por aí, sem destino, sem hora pra voltar, ver o mundo, sentir a pele queimando no calor, tomar banho de mar, ver o pôr do sol com um amor a tiracolo, pegar uma via de barro no meio do nada e encontrar um paraíso no fim. Vida! No percurso, não faltam lugares para se comer bem. Nessas tantas idas a Alagoas, alguns cantinhos já são parada obrigatória. Meu roteirinho é esse aqui.

Maceió

A orla de Maceió é linda demais (só não tenho foto, sorry) e tem coisas mil para se fazer. Nunca ficamos muito tempo por lá, no entanto. De capital a gente já tá cheio o ano inteiro, né? Mas para quem vai fazer da cidade um pit stop da viagem, sugiro um almoço na Massagueirinha. O arroz de polvo é ótimo e tem um preço amigo: R$28,90 o pequeno, que serve duas pessoas. Guarde lugar no estômago para a sobremesa e não deixe de passar na Bali, a Gisele Bündchen das sorveterias. Além de sabores diferentes, como vinho do porto e jambo, lá tem um freezer SÓ de sorvete de chocolate. SÓ! Amor demais.

roteiroBALI Overdose de sorvete de chocolate: belga, de madagascar e africano

Massagueira

Saiu de Maceió? Segue reto toda vida, atravesse a ponte que passa por cima da Lagoa Mundaú e fique boquiaberto com a vista. Nessa hora tem sorte quem não está no volante (eu não gosto de dirigir, sempre me dou bem) porque dá para virar a cabeça 360 graus e não perder um segundo de paisagem. Em 20 minutos você está na Massagueira, polo gastronômico que fica às margens de uma lagoa. Passou por uma segunda ponte que tem vista tão bonita quanto a primeira, vire à direita. O trabalho que você vai ter é escolher entre tantos restaurantes. O Bar Ilha já é sagrado, serve um siri de coral (lembra que já falei dele aqui?) sempre gordinho e tem um pirão fantástico.

massagueiraPAISAGEM Ilha de coqueiros é visão tanto da ponte, para quem está passando, quanto dos bares, para quem decidiu fazer uma boquinha.

Praia do Francês

Praia badaladíssima! E linda. Água super azul e geladinha. É tipo uma Porto de Galinhas, só que mais bem cuidada. Em alta temporada tem muita gente, entretanto é um lugar que não dá para deixar de ir. Quando o mar está seco, a vista é fantástica. Tô mentindo. A vista é fantástica o tempo todo. Sempre ficamos em um dos bares que – por estarem na areia, mas em um nível mais alto – dão uma visão privilegiada. O favorito (não lembro o nome) fica ao lado do Acarajé Dois Irmãos, que Felipe frequenta desde menino e é o melhor da redondeza. Peço um e pra mim vale como meia refeição. Geralmente, passamos a manhã no Francês e partimos para a Massagueira, que é bem pertinho, a fim de forrar o bucho.

praia do francêsACARAJÉ Melhor opção de belisquete na praia

Barra de São Miguel

Onde repousamos. É a Barra quem nos recebe, na casa de praia das tias Ju, Lúcia e Walda. Daí partimos para aventuras ao redor. Tudo é próximo. Não curtimos muito a praia de lá, mas AMAMOS a Lagoa do Roteiro, de onde é possível assistir a um pôr do sol sensacional, de frente para a àgua (que nem na Praia do Jacaré, na Paraíba). Dá vontade de chorar de tão bonito. Quando a maré seca, andamos pelo meio da lagoa junto aos barcos presos na areia. Um restaurante ótimo da Barra é a Forneria: pizzaria com massa gostosa e serviço eficiente.

roteiroENTARDECER O pôr do sol na Lagoa do Roteiro é sempre lindo

Chácara Bar

Entre a Barra de São Miguel e a Paria do Gunga está o Chácara. Ele fica descendo uma estrada à esquerda, antes da ponte (que tem a vista mais maravilhosa de todas as pontes do caminho e onde muita gente faz bungee jump de tão alta). A comida de lá é meio de lua, sabe? Mas o espaço é tão bom que eu nem ligo. Ele fica na beira de uma lagoa imensa, tem vista privilegiada da água e da ponte, além de um pier. Quando a maré está baixa, a gente caminha pela margem e pode ver os xiés (ou seria chiés?) saindo dos buraquinhos na areia. Para criança é ótimo. E o preço também é legal: uma peixada que serve bem duas pessoas custa uns R$45.

roteiroPIER O Chácara fica na beira da água

Praia do Gunga

A Praia do Gunga é uma das mais lindas de se chegar, de se estar, de ir embora. Antes de descer pela estradinha que dá acesso ao lugar, você já consegue ver o mar de coqueiros e a linha azul do oceano no horizonte. Para uma visão privilegiada, suba o mirante do Gunga e seja ainda mais feliz. Mas, galera, PREPARA porque tem dia que não há lugar para estacionar. São milhares de turistas. Gente bonita em clima de paquera pra todo lado. Quem não gosta de agitação, melhor evitar. Eu adoro o Gunga, o banho é delicioso e se andar um pouquinho dá para encontrar um lugar mais calmo. Como sempre fazemos isso, acabamos longe das barracas e, logo, da comida. Vale levar um lanchinho na bolsa.

roteiroMIRANTE Muitas coisas boas nessa vida são grátis. Esse lugar é uma delas.

Duas Barras (Jequiá da Praia)

Duas Barras é meu lugar favorito nessa caminhada. De um lado, uma paredão de mato com o rio nos pés. É ótimo atravessar a nado quando a maré está baixa e chegar na ilha de areia que se forma no meio. Mais na frente, o mar, que se encontra com a água doce. Bonito demais. Não canso de ficar olhando, admirando o quanto a natureza pode ser perfeita. Aqui você tem duas opções: curtir o oceano ou o rio. Na segunda alternativa, barqueiros ainda podem te levar mais longe, para dentro do mangue, onde a água é rasinha. O Paraíso, sem dúvida, é o melhor lugar para comer. Peixada ótima e caldinhos tão bons quanto.

roteiroPARAÍSO DUPLO Água salgada ou doce: em poucos passos, você se desloca do rio para o mar.

Mais para frente existem outras praias maravilhosas, mas esse roteiro ia ficar grande, né? Um dia faço a parte dois, até Penedo. E para terminar, um vídeo que gravei numa dessas jornadas pelo litoral alagoano, durante o pôr do sol. Só de ver já me dá vontade de cair na estrada novamente.

Milenna Gomes

Criadora do NSC, Milenna é jornalista de gastronomia e mestranda em história da alimentação na Universidade de Coimbra. Recifense vivendo em Portugal. Críticas e sugestões: contato@naoseicozinhar.com

3 Comentários

  • Responder janeiro 19, 2014

    Camila

    Ai que vontade de tudo desse post…

  • Nas arrondezas de Coruripe se encontram varias praias (semi-) desertas. Um exemplo é a praia do Batel em Barreiras de Coruripe. Traversando aí o braço morto do Rio Coruripe (com inluencia dos marés) se chega numa praia com uma vista priveligiada para o Pontal de Coruripe. Nossa pousada valoriza este natureza lindíssima com umas suítes espaçosas e comfortáveis. Os refeições estão sendomuito elogiados. Venha conhecer.

  • […] Quem vai além das fronteiras de Maceió também tem muito o que fazer! Dá uma olhada nesse roteirinho que fiz das bandas de lá. […]

Deixe um comentário