Doces, azamiga e uma 25 de Março que não foi

Minha pitchulinha Luana Pimentel se bandeou para São Paulo há alguns meses, partindo o meu coração. Nosso grupo de amigas ficou capenga e ligeiramente triste, mas ela só está a três horinhas de avião, né? Agora, eu e as outras integrantes da quadrilha ganhamos a desculpa perfeita pra viajar no melhor estilo Luluzinha’s Club. 🙂 E foi o que fizemos eu e Beatriz Lacerda: aprontamos as malas e nos jogamos nos nossos primeiros dias na Terra da Garoa. Batemos muita perna e, ca-la-ro, a 25 de Março estava em caixa alta na nossa programação devidamente organizada em uma planilha por Luana, a loka. A proposta era acordar cedo e passar o dia na compra de bugigangas, mas a noite anterior não deixou. Chegamos no metrô de São Bento, o mais perto de lá, às 14h30 e só alcançamos a rua uma hora depois porque NINGUÉM sabia apontar a direção certa pra gente. Meio improvável, né? haha E era bem do lado, embaixo do nosso nariz. Nós demos uma arrodeio tão grande na busca que acabamos parando num café, vejam só, em frente à estação de onde saímos!

BIA A galega dando uma conferida no menu

O passeio em círculo foi muito agradável e nos rendeu a visita ao Café Girondino (restaurante também), construído na era de ouro do café no Brasil e frequentado por vários intelectuais da época. Tem escrito no cardápio o nome de alguns, só que eu não anotei. No menu também está estampada uma foto do local antigamente. É bem charmoso lá, especialmente no andar de cima, que tem uma decoração mais elegante. O massa é que fica no meio de um vuco-vuco e, assim, se torna um cantinho bom para acalmar e descansar os pés depois das andanças. Os doces são excelentes! Fiquei no cafezinho, mas as meninas se jogaram no açúcar.

CAPUCCINO O biscoitinho tava melhor que o caféBELGA Esse brownie tava como sugestão do dia e eu poderia comê-lo pra sempre. Chocolate belga com amêndoasIMPECÁVEL O strudel de maça tava levinho, doce na medida certa. Divino até pra quem não gosta de sobremesa com fruta, como eu

Muito amor, beijos, abraços, fofoquinhas e guloseimas depois, partimos para a estrada e encontramos sozinhas a 25 de Março. UHUULL Mas aí já era tarde e tava tudo fechando. haha Besteira. Um “viva” a esses percursos que, no final, acabam sendo bem mais prazerosos que o destino.

Milenna Gomes

Criadora do NSC, Milenna é jornalista de gastronomia e mestranda em história da alimentação na Universidade de Coimbra. Recifense vivendo em Portugal. Críticas e sugestões: contato@naoseicozinhar.com

4 Comentários

  • Responder dezembro 3, 2012

    Carol

    Pegava o strudel de maçã fácil! Hahahhahahaha!

  • Responder dezembro 3, 2012

    Julianna Mota

    Ahahah, aconteceu a mesma coisa comigo em Sampa! Nada de encontrar a 25 de março pela direção que apontavam e ela também estava na minha cara. =p

  • Responder dezembro 3, 2012

    Thaise

    Esse blog, na hora do almoço, pra quem vai comer miojo… é muita maldade Brasil! Quando for pras bandas do Rio vai na Colombo, acho que mais ou menos o mesmo estilo e a decoração é de tirar o fôlego. Beijo

  • Responder dezembro 6, 2012

    Luana Monteiro

    Esse é o post mais lindo de todos! Estar distante das pessoas que amo, doi pra caralho, mas nao tem coisa mais feliz que reencontros. Foi exatamente como sempre foram os nossos encontros: alegre, engracado e muito divertido. É sempre maravilhoso estar com vocês, minhas lindas. Amo muito vocês. Quem vai cantar comigo nos subsolos do metrô?

Deixe um comentário