Como guardar e reaproveitar a ceia de Natal

Melhor do que se empanturrar na véspera de Natal é comer o RO (resto de ontem) no dia seguinte. Sobra comida para todas as refeições. Meu prato natalino favorito é pão francês com queijo do reino derretido, acompanhado de um copo bem grande de leite com achocolatado. Um dos propósitos da vida do ser humano inclui comer coisas do tipo, minha gente. Porque é muito maravilhoso. Para deixar o menu do dia 25 (e 26 e 27 e 28) mais criativo, dois chefs super legais deixaram para o blog algumas dicas de reaproveitamento.

panetone_tradicionalQue tal um sanduíche de panetone? Foto: Divulgação/Jandira Alimentos

Carla Chakrian – ÇaVa Bistrô

1) O primeiro cuidado é acondicionar a comida em vasilhas bem lacradas e evitar colocar o alimento morno ou quente demais dentro da geladeira. “O ideal é guardar a comida fria dentro da geladeira, pois se colocar com uma temperatura muito alta, vai gerar um líquido por conta do suor dos ingredientes e a probabilidade de estragar aumenta. Algumas pessoas, se preferirem, podem congelar para durar mais uns dias”.

2) Para o arroz temperado, muito usado nesta época do ano, a dica da chef é apenas colocar um queijo de sua preferência por cima e gratinar em fogo baixo.

3) Outra sugestão de Carla é transformar o panetone tradicional em sanduíche e servir como entrada para o almoço. “Você recheia ele com queijo do reino, tomate e presunto. É uma receita prática que fica super bacana e diferente”. O de chocolate pode virar um sanduíche doce.

farofa palmirinhaFoto meramente ilustrativa de uma farofa da Vovó Palmirinha. Foto: site Palmirinha.

Leonardo Amaral – Café Café

1) Faça uma farofa de peru. Para preparar, basta desfiar toda a carne da ave, refogar com alho e cebola, acrescentar farinha de mandioca, sal, salsinha e passas a gosto. Também funciona bem com o chester.

2) “Para dar uma cara nova aquele arroz branco, pode misturá-lo com peru desfiado, milho, ervilha, queijo parmesão e levá-lo ao forno para gratinar. Esta receita é muito consumida no Pará”, afirma Amaral.

E vocês, fazem o quê? Qual a sua receita de RO mais legal?

Milenna Gomes

Criadora do NSC, Milenna é jornalista de gastronomia e mestranda em história da alimentação na Universidade de Coimbra. Recifense vivendo em Portugal. Críticas e sugestões: contato@naoseicozinhar.com

Seja o primeiro a comentar