Capitania é opção de bar com menu exclusivo para veganos

Eu acho de um amor tão grande quando o bar/restaurante oferece opções veganas no cardápio. Tenho alguns bons amigos que já cortaram proteína animal da vida. Amém (um dia eu consigo). Como é difícil encontrar lugares pra reunir todo mundo sem que azamizades com restrições fiquem sem comer! Já melhorou muito, mas os estabelecimentos, normalmente, não pensam em quem eliminou animaizinhos da dieta. Gente, vegetarianos gostam de tomar uma cervejinha e sair para os cantos, viu? Cadê a visão empreendedora para abocanhar esse público? Por isso, se é amor encontrar cardápios com uma opção ou outra para veganos, achar um menu inteiro sem carne é pedir pra casar. E ainda assinado por Jeff Colas, do Maison Bonfim. Casa, comida e roupa lavada. Pois no Capitania – Forneria e Mar tem comida pra todo mundo. Fui convidada pra dar uma olhada nos itens sem carne e AMEI. Felipe, que cortou bichinhos mortos (como ele mesmo fala) da vida há um tempinho, também aprovou.

capitania capaTABULE Trigo para kibe, suco de limão, hortelã, salsa, cebola, tomate e pimentões. R$ 19.

Eu não conhecia o Capitania de Casa Forte (é possível que eu já tenha ido no de Olinda). O local é aberto, com ventilação natural e bem amplo. Tem pratos bem variados que vão do filé grelhado a preparações com frutos do mar. Fica exatamente onde era o Seu Cafofa. O cardápio especial veio por conta da demanda, mesmo. Achei uma super bola dentro. As opções são todas veganas, mas o cliente pode adicionar proteína animal – como queijo e ovo – e tornar vegetariana. Tem até pizza, minha gente! Nela, eles usam mandioqueijo, uma mistura de purê de mandioca com polvilho.

capitania4CROSTINE Fatias de pão italiano com mandioqueijo e caponata (berinjela, pimentões, cebola, uva passa, azeite e azeitonas) em forno de lenha. R$ 28.

O tabule – ainda que estivesse um tanto ácido – é um ótimo pedido. Gostoso e farto. O cardápio o sugere como prato individual, mas dá para dividir com umas três pessoas tranquilamente. Os crostines também estavam uma delícia. Muito suculentos. Só que, pensando com meu botões enquanto escrevia este post, achei o preço salgadinho. São cinco fatias por R$ 28, que dá R$5, 80 por unidade! Caro, né? Ou eu sou pirangueira? Levando em consideração que o risoto, melhor prato de todos, é R$ 25, acho mais vantajoso escolher ele, caso você precise tomar uma decisão. Detalhe que só reparei agora também: não veio o mandioqueijo como dizia na descrição. 🙁

capitania6RISOTO DE QUINUA Risoto com quinua, mandioqueijo e champignon. Acompanha massa de guioza frita e molho picante. R$ 25.

O risoto estava incrível. Vá no Capitania – até você, carnívoro! – só para comer ele. Mega cremoso. A massinha frita de guioza – muito comum em restaurantes orientais – dá o contraponto crocante. O molhinho picante arremata. Muito bom. ♥ Além desse prato sedução, ainda tem pizza, meu povo. Não dá pra reclamar da variedade, né? E com uma das melhores massas que eu já comi no Recife. Sério! Fininha, mas sem perder a maciês. Huuuuum. Detalhe, todo domingo tem rodízio de pizza por lá a R$ 22,90. Precinho mega camarada. As veganas ainda não estão inclusas, mas devem entrar em breve.

capitania 8MARGUERITA Massa especial sem produtos de origem animal, molho de tomate, tomate fresco, mandioqueijo, cebola e manjericão. R$ 38.

O cardápio está disponível nas duas unidades do Capitania, Casa Forte e Olinda, e super vale ser provado. Tá tão bom que nem os amigos que comem carne vão reclamar de beliscar um prato com você. A casa só não fez sobremesas por não ter encontrado uma realmente boa para incluir no menu. Por hora. É isso. Um beijo para todos os meus amigos veganos, vegetarianos e macrobióticos. Já sabemos onde fazer a próxima confra. 🙂

cardápio capitaniaCARDÁPIO completinho para veganos. ♥

SERVIÇO

Capitania – Mar e Forneria
End.: Estrada do Encanamento, 1400, Casa Forte, Recife. Ou Rua Eduardo Morais, 25, Bairro Novo, Olinda.
Tel.: 3204.2422 (Casa Forte) e 3429.8970 (Olinda)

capitania

Milenna Gomes

Criadora do NSC, Milenna é jornalista de gastronomia e mestranda em história da alimentação na Universidade de Coimbra. Recifense vivendo em Portugal. Críticas e sugestões: contato@naoseicozinhar.com

Seja o primeiro a comentar