Cafeteria Malakoff: 9 maneiras de extrair café

Por causa do nome, passei um bom tempo achando que o Malakoff Café, assim que inaugurou, era na Praça do Arsenal, no Recife Antigo, dentro ou nos arredores da Torre Malakoff. Imagina a surpresa quando descobri que era do outro lado do Recife, no bairro do Prado, em um lugar super improvável para um cafeteria de rua, a avenida Abdias de Carvalho. Nunca tive a chance de visitar oficialmente (fui em situações diversas), mas acompanhei de longe o café crescer, se especializar, ganhar admiradores e, por fim, depois de um caminho super bonito, ser eleito por uma publicação especializada cafeteria revelação. Massa, né? E, finalmente, em setembro, a marca ganhou uma nova unidade no espaço que faz mais sentido nesse mundo: a Praça do Arsenal, no Recife Antigo, na área aberta ao público do Paço do Frevo, pertinho da Torre Malakoff! Achei sensacional (e corri pra visitar antes de pular pra outro continente).

Para a casa nova, os donos – o casal Tallita Marques e Alan Cavalcanti – trouxeram uma sócia, Tassiana Marques, o mesmo atendimento carinhoso e as diversas formas de extrair café pelas quais ficaram conhecidos. Tem desde o cafezinho coado, com gosto de interior, passando pelo místico turco e chegando ao globinho, que parece uma experiência de laboratório e é MASSA de ver. São 16 métodos no Prado e 12 no Antigo. Achei que vocês fossem curtir conhecer alguns. Todas as fotos das bebidas, produzidas na unidade do Recife Antigo, são da fotógrafa e parceira do blog Izabela Alves, que arrasou nos cliques. 🙂

Cada barista desenvolve as próprias receitas para os métodos diversos a partir das referências estabelecidas pela Brazil Speciality Coffee Association (BSCA). Estes são os que você encontra no Malakoff Café.

1 – AeroPress (prensa americana)

aeropressaeropress2

Como funciona: pó e água quente são colocados no aparelho, que tem um êmbolo, e o café é extraído de forma controlada com ajuda da pressão do ar (lembra o mecanismo de uma seringa).
Características do café: pouco ácido, intenso e de sabor complexo.
Curiosidademétodo jovem, de 2005, criado pelo inventor de brinquedos Alan Adler.
Preço da xícara: R$ 8,90.

2 – Chemex

2 22

Como funciona: o café é bem coado em filtro de papel grosso, com camadas a mais, encaixado num recipiente de vidro especial, decorado com uma “gravata” de madeira.
Características do café: suave, com boa acidez e sem resíduos.
Curiosidade: o químico alemão Peter Schlumbohm criou o método em 1941 e se inspirou na escola de arte Bauhaus para fazer o design do objeto (que é LINDO).
Preço da xícara: R$ 8,90.

3 – Globinho

globinhoglobinho-4 globinho-3

Como funcionao globo de baixo é aquecido, o ar se expande e empurra a água para o globo de cima, a água se mistura com o pó e volta para baixo como café líquido. É massa de assistir!
Características do café: de intensidade moderada, sabor equilibrado e retrogosto marcante.
Curiosidade: criado na Alemanha nos anos 30, só em 1840 teve o primeiro exemplar comercial desenhado e patenteado – pela francesa Marie Fanny Amelne Massot.
Preço da xícara: R$ 9,90.

4 – Hario V60

3

Como funciona: água e café com moagem mediana matêm contato por pouco tempo graças ao furo central que faz a água escorrer e ser coada rapidamente.
Características do café: bebida leve, com pouca cafeína, boa acidez e doçura.
Curiosidadefaz parte dos produtos da empresa japonesa Hario, que começou fabricando vidros para laboratório nos anos 60, em Tokio. V60 é “vetor 60”, referente ao ângulo de 60 graus do cone.
Preço da xícara: R$ 8,50.

5 – Prensa francesa

prensa-francesaprensa-francesa-2

Como funciona: o pó de café infusiona na água quente e depois é empurrado para baixo com ajuda de um êmbolo/filtro.
Características do café: muitíssimo suave e aromático.
Curiosidade: a prensa é francesa, mas a patente é italiana: de 1929, assinada pelo designer Attilio Callimani.
Preço da xícara: R$ 8.

6 – Hario Clever

clever-l clover

Como funciona: lembra o método V60 no formato, mas é diferente: o aparelho recebe um filtro onde pó e água quente vão infusionar, com a tampa fechada. Depois, o objeto é encaixado na xícara e libera o café.
Curiosidade: é um coringa. Como é um sistema inteligente (“clever”, em inglês), o barista consegue controlar a intensidade do café de acordo com o tempo que o pó fica em contato com a água: quanto mais tempo demorar, mais intenso fica.
Características do café: intenso.
Preço da xícara: R$ 8,50.

7 – Espresso

espresso espresso2

Como funciona: uma máquina faz com que a água quente passe pelo pó do café com bastante pressão.
Características do café: cremoso e aromático.
Curiosidade: ao contrário do que muita gente pensa, o café coado tem mais cafeína do que o espresso (do italiano, “tirado sob pressão”), já que fica em contato com a água quente por mais tempo e são água e calor que ajudam a liberar essa substância.
Preço da xícara: R$ 5,50.

8 – Café turco (Ibrik)

9 9-2 9

Como funciona: o café, com açúcar mascavo e especiarias, é colocado e fervido no recipiente tradicional turco chamado ibrik.
Características do café: encorpado (por não ser filtrado) e doce.
Curiosidade: o mais antigo método de preparar café. No fim, sobra uma borra no fundo da xícara e há quem consiga ler a sorte e ver o futuro a partir desse pó.
Preço da xícara: R$ 10,90.

9 – A frio (Cold Brew)

a-frio

Como funciona: o café é extraído a frio, depois que o pó fica imerso em água fresca por mais de 24h. É delícia puro, com leite e em misturinhas diversas.
Características do café: refrescante e de sabor intenso.
Curiosidade: segundo o site Mexido de Ideias, esse tipo de café começou a ser consumido largamente nos anos 60, no Japão, mas bem antes já era usado como alimento em viagens e guerras.
Preço da xícara: R$ 12,90 (valor da bebida na foto, a Mercado da Boa Vista).

Serviço

Malakoff Café
Prado: Av. Abdias de Carvalho, 1142.
Recife Antigo: Paço do Frevo, Praça do Arsenal.
Informações: (81) 3128.0113

Milenna Gomes

Criadora do NSC, Milenna é jornalista de gastronomia e mestranda em história da alimentação na Universidade de Coimbra. Recifense vivendo em Portugal. Críticas e sugestões: contato@naoseicozinhar.com

1 Comentário

  • Responder dezembro 9, 2016

    Flávia

    Eu conheci o Malakoff por um acaso, estava passando com alguns amigos e o jeitão da fachada do café chamou nossa atenção. Despretensiosamente entramos, e nos surpreendemos com o lugar, decoração aconchegante e caprichada, cafés excelentes, comidinhas ótimas, tinha alguns livros disponíveis para leitura e o atendimento de qualidade e personalizado.

Deixe um comentário