A preço fixo, Mura Orora oferece (ótima) degustação de sushis especiais

Quem degosta de rodízio de sushi? A ideia de comer sem limites e não ter surpresas na hora da conta é de alegrar o bucho e o bolso de qualquer comilão. Confesso, no entanto, que a proposta deixou de encher tanto meu olho grande. É comida demais, qualidade de menos, variedade quase zero e preço alto na maioria dos lugares. E eu gosto de comer uns negocinhos diferentes – e no diferente não está incluso queijo cheddar com salmão (WHY, GOD?). Por isso, mais que aprovei o menu confiance do Mura Orora, aquele japa descolado na 17 de agosto, em Casa Forte. Por um valor fixo você come o quanto quiser, mas fica nas mãos do sushiman Edson Leite, que só manda para a mesa o que a criatividade dele diz.

Mura Orora MontagemDRINQUE favoritaço de sakê com maçã verde, pra abrir (mais) o apetite

O massa é que ele usa os ingredientes mais frescos e sofisticados que tiver na cozinha no dia (fois gras, trufas, brotos, geleias). Você só vai comer o crème de la crème do Mura Orora e com assinatura do chef, que frita os miolos elaborando sushis únicos. No dia da minha visita, ele tava doidinho. Várias mesas tinham pedido a degustação e Edson não repete prato pra nin-guém. Imagina a loucura! A cada rodada chegam quatro sushis diferentes uns dos outros e completamente diferentes da mesa do lado. Mas, ele disse que adora a correria do processo de criação. É uma forma de tirar o cliente do lugar comum (falta coragem de pedir algo novo e não gostar, né?), mostrar a personalidade da casa e colocar em prática a técnica que acumulou nos mais de vinte anos na área.

Mura Orora 6

Antes da refeição, claro, você diz alergias e preferências alimentares e aí ele monta o menu com base nisso. E garante até 30 peças distintas. A partir da trigésima primeira, se autoriza repetir porque, né, ele pode até ser sushiman, mas não é ninja. Ah, até agora, só um moço alcançou esses 30 sushis, acreditam? Quando soube, sentei focada a bater o recorde porque eu não brinco em serviço. Fomos e eu e Felipe beeeeem dispostos, mas ele só chegou na rodada seis e eu consegui somente três e meia. Um vexame. hahahah É que as opções são fartas e o serviço, por ser uma degustação, um pouco mais lento. Aí o corpo vai saciando. A vibe não é a de comer até morrer, com salmão e cream cheese saindo pelas orelhas. Se essa for sua preferência, melhor ir num rodízio comum. #fikadika Mas, se quiser provocar o paladar e se abrir a experiência, bem-vindo. Eu AMEI. E dei a sorte de começar a noite comendo quatro partes de um atum tipo exportação fresquinho, chegado no dia. AI, OBRIGADA DEUS.

Rodada  1Mura Orora R21) Maguro (o lombo do atum, parte mais comum) com fois gras e flor de sal.
2) Chutoro (parte entre o lombo e a barriga do atum, com consistência perfeita e gordura na quantidade certa), tartar de gengibre e cebolinha. Esse é levemente picante, deliciosooo! Um dos favoritos.
3) Otoro (uma das partes mais nobres do atum, a barriga), pasta de nori (a alga do temaki), geleia de gergelim e teriaki.
4) Tartar de akami (parte que fica sobre o lombo), cebola roxa, azeite de ervas e cebolinha.

Rodada 2Mura Orora R11) Flor de polvo com azeite trufado
2) Barriga de meca maçaricada, azeite de ervas, alho poró frito, creme de trufa branca e uma pimentinha chilli artesenal, feita na própria cozinha. Sensacional. Equilíbri perfeito entre a picância da pimenta e a maciês da trufa. -> ♥
3) Barriga de salmão marinada no missô (pasta fermentada de soja) e cebolinha marinada no shoyo.
4) Salmão com shimeji, azeite trufado e flor de sal.

Rodada 3
Mura Orora 71) Salmão com ova de massago (amo! São crocantes e lindas. Comeria um pote).
2) Enguia com molho especial secreto. Gente, enguia é deliciosa, mas a textura é estranha, só para fortes.
3) Barriga de salmão maçaricada na manteiga de manjericão com flor de sal.
4) Camarão com trufas negras (super raras e incríveis! Adoro tudo que leva elas) e flor de sal.

Rodada 4
Mura Orora R41) Ebi fashion, com salmão, tartat de camarão, cream cheese e mostarda com mel.
2) Flor de salmão com cream cheese e geleia de morango.
3) Dragon de camarão com geleia de maracujá e tarê.
4) Atum com furikakê (melhor nome! hahaha). Esse tempero, que lembra gergelim temperado, é crocante e salgadinho.

Rodada 5
Mura Orora R61) Dragon de shitake.
2) Chutoro com moyashi (broto de feijão).
3) JoJo de peixe branco com manjericão.
4) Barriga de salmão com nirá (broto de alho).

Rodada 6
Mura Orora R51) Otoro com tartar de shimeji e furikake.
2) Uramaki de salmão especial (temperado com azeite de ervas).
3) Maguro com tartar de camarão
4) Salmão com camarão ao curry.

Ah, o restarante é esse escândalo de lindo! Casarão centenário completamente reformado, com o pé direito lá encima. Você sente que tudo é grandioso. Dá pra ir de boa sem salto, viu meninees. Mas se quiser arrasar na produção, dá também porque a casa permite.

Serviço

Mura Orora
Avenida Dezessete de Agosto, 1008, Parnamirim.
Informações: 3442-1174.

Milenna Gomes

Criadora do NSC, Milenna é jornalista de gastronomia e mestranda em história da alimentação na Universidade de Coimbra. Recifense vivendo em Portugal. Críticas e sugestões: contato@naoseicozinhar.com

1 Comentário

Deixe um comentário