A nossa casa é onde a gente está

Estou morando só há um mês e alguns dias. Bem, nem tão só assim. Divido apartamento com mais três moças, uma quarta vive conosco por tempo indeterminado e os namorados e amigos de todo mundo estão sempre de passagem. Sozinha, realmente, eu nunca fiquei, mas às vezes eu me sinto só. Chegar do trabalho na casa nova não tem painho, mainha e o irmão pra me dar carinho e amor gratuitos, conversar, jantar juntos, ver televisão e todas essas coisas simples do convívio familiar e necessárias para a manutenção da nossa felicidade. Depois de me mudar, me sentir, realmente, acolhida foi bem complicado no começo, no entanto, como diz o mago de cabelos assanhados Arnaldo Antunes, “A nossa casa é onde a gente está. A nossa casa é em todo lugar“. Então resolvi fazer da minha estadia algo mais condizente com a palavra lar e passei a transformar meu quarto num ninho mesmo. Com coisas que eu amo, que me deixem alegre. Nesse tempinho de moradia nova, eu transformei esse cômodo – que não tinha vidros na janela, a porta não fechava, vazava água da lâmpada por causa de infiltração – no meu cafofo. Hoje eu já chego em casa mais sorridente.

Meu cantinho favorito é esse aqui de cima, organizadamente bagunçado. Nessas pranchas tem tudo o que eu preciso que esteja acessível às mãos: bloquinhos, canetas, chaves, predendor de cabelo, etc. E como agora eu pago aluguel e ainda estou me adaptando a fechar todas as contas no final do mês (é duro!) com o pouco que ganho, as bugigangas de enfeite são todas recicladas. Economizar é amor, é vida, é garantia de fatura do cartão quitada! hahaha  A placa verde, por exemplo, eu roubei resgatei das terras da cachoeira de São Bento, na Chapada dos Veadeiros, em Goiás. Ah, minha gente, tava lá, no chão, abandonada…Praticamente me pediu pra se levada embora. Só por isso que peguei! Eu não ia arrancar o babado e sair correndo com ele na bolsa, né? Acho liindo, amo muito. Os postais colados na parede eu catei todos no CinePE. Saí loka colocando na bolsa com a certeza de que um dia eu ia precisar! Precisei. 🙂

O reaproventamento mais recente foi feito com essas garrafas de suco de uva integral que viraram vaso. Estavam guardadas há tempos (tenho sérios problemas com desapego). Aí, já tava na hora, dei um destino a elas com as flores que ganhei do boy (coisa LINDA!) de aniversário de namoro. Não ficaram simpáticas? Ainda tenho vários projetos para meu m². Pintar paredes, pedurar uns quadrinhos, ter uma cama…É, o colchão, que é de casal, tá no chão por falta de cama e de espaço para uma. Minha próxima invenção vai ter pallet no meio e, espero, vai ficar mais ou menos assim:

Ps. Relaxem, o blog não vai ficar falando de decoração. Foi coisa de momento. 🙂

Milenna Gomes

Criadora do NSC, Milenna é jornalista de gastronomia e mestranda em história da alimentação na Universidade de Coimbra. Recifense vivendo em Portugal. Críticas e sugestões: contato@naoseicozinhar.com

5 Comentários

  • Responder junho 4, 2012

    Lucianna Valente

    Sempre que leio teus textos, parece que tô fisicamente junto a ti. O teu jeito de escrever é bastante peculiar e fiel ao seu jeito de ser 🙂 Acho isso o máximo! 🙂

    Adorei o comentário sobre a plaquinha…”Ah, minha gente, tava lá, no chão, abandona…!” Adooooro! Eu pegaria, também. Adoro placas! Quando fui a Brasilia, brincava com minha amiga que eu precisava tirar foto em todas, afinal, são muitas! 😀

    E quanto a morar sozinha, tb me identifico com o que você sente/sentiu. Um pouco diferente, porque eu moro só de verdade. O que é bom na maioria das vezes, mas também, mais agravante por ser só de verdade. Mas só tb é tão relativo, né? A gente pode encher a casa de gente e se sentir só, como pode estar sozinha e ter logo um motivo pra estar cheia de gente! 🙂 Falta só um namorado, que esse tu já tem… rs

    Sucesso na vida adulta, amiga. Pagar contas é o primeiro passo. rssss…

    beijão!

    • Milenna Gomes
      Responder junho 4, 2012

      Milenna Gomes

      Ai, Luuu! Nem imagino como deve tá sendo em Sampa, sem família por perto! Mas tu é fera. Eu sei que desenrola fácil. Te admiro pela coragem de ir embora, ir atrás dos teus sonhos…

      Brigadaa! Ler teu blog me faz sentir que tu tá pertinho tb! Vâmo fazer essa parceria Não Sei Cozinhar-Antes de Casar.

      Um beijo!

  • Responder junho 5, 2012

    Vera

    Tô orgulhosa de ti Milenna… te conheci tão pequenininha e agora já tá independente… que nindo… o tempo passa… quando for à Recife te levarei um presentinho pra decorar teu cafofo… bjs

  • Responder junho 5, 2012

    Aline Souza

    Eu estou passando frio e procurando meu apê aqui na cidade. Mas estou amando tudo e louca pra esvaziar minha mala de vez e deixar de aperrear meu primo. Vou sentir falta do colo de mãe, mas uma hora isso tem que acontecer… :***

  • Responder agosto 22, 2012

    Gil

    Ô criatura, que lindo esse teu cantinho!
    Acho que só te vi de passagem naquele apartamento duas vezes (sim, amiga de P., E. e L!) mas assim, desde que poket pisou os pés lá eu queria poder mexer em alguma coisa (faço arquitetura, louca viciada em interiores) e se tu quiser um help baratinho (custo das coisas, não do serviço UHAUHAUHA) eu posso tentar viu? ^^ qualquer coisa grita!

Deixe um comentário