A noite em que o gás acabou

NOTA: Queridos leitores orfãos de leitura neste blog, veio por meio desta informar que o NSC está abandonado por uma causa mais digna do que as realizadas por ganhadores de Nobel. Estou de férias, mas férias MESMO, daquelas em que não preciso ir para o trabalho ou faculdade, nem acordar cedo. Faz dois anos que não sei o que é isso, então eu e o boyfriend aproveitamos para passear! Estamos no centro do Brasil colocando em prática o comer way of life, pois é só isso que a gente tem feito. hahahaha Por isso, estou cheia de coisas legais para mostrar por aqui. No entanto, antes, tenho que contar um causo que gerou uma reflexão em mim. Comecemos.

Desculpem as fotos, a câmera de Luana é algo de outro planeta.

No último dia de aula do que foi nosso período de adeus à Católica (o próximo é projeto de conclusão e tchau!), minha ilustríssima amiga Luana Pimentel resolveu fazer uma noite de queijos e bebes na casa dela aproveitando que os pais – phynos – estão nazoropa sendo felizes. A proposta era de nos embriagarmos com vinho, brie, gorgonzola, gouda, gruyere, falar besteira e lembrar das leseiras dos primeiros anos de faculdade. Bem, isso na minha cabeça. Na dos outros, existia um plano maléfico de me jogarem para comandar o fogão. Pois é, gente, não adianta ter um blog com o nome Não Sei Cozinhar, meu amigos insistem que, se entrei em um curso de gastronomia, é minha obrigação saber fazer, pelo menos, um macarrão. E foi exatamente o que resolvemos preparar. Só que, para isso, era preciso gás, né? Quando o da casa de Luana acabou, a água do penne não havia nem esquentado. kkkk Me responda se você é capaz, companheiro. Onde é que a gente ia arrumar um botijão às 21h de uma quinta-feira? A sorte parecia estar do lado da nossa fome, pois encontramos um reserva na área de serviço. Só que aí veio o problema maior. Éramos dois homens e três moças e nenhum sabia instalar o babado. De enxiridos, começamos a futucar o negócio e depois de usar o esforço intelectual de cinco cérebros, trocamos o gás. Posso falar em nome de todos: que coisa difícil da bexiga!

Aí ele começou a vazar e a gente a se desesperar. Bati na casa dos vizinhos na esperança de um socorro, mas, da nossa idade, eles sabiam menos do que nós e também ficaram apavorados! O jeito foi ligar para o porteiro ir acudir. Como ele estava sozinho, tive que descer até a portaria para ficar no lugar dele. Fui pedindo a Deus para que nenhum morador quisesse entrar ou sair do prédio, já que eu não sabia mexer nos comandos de abrir e fechar do portão, além de rezar para não acontecer nenhuma explosão. Depois desse episódio, me dei conta de que minha geração está perdida. É sério. Se a gente não sabe trocar um botijão de gás, como é que vamos sobreviver sozinhos? Vamos ser eternamente dependentes de pessoas que nos alimentem e arrumem nossa casa para nós. Depois do blog, tenho percebido que a galera da minha idade sabe cozinhar, lavar e passar tanto quanto eu. Parece que a criação dessa leva de jovenzinhos foi completamente voltada para fora de casa. Aconteceu comigo e olha que nem sou menininha rica de classe média. Tô muito longe disso. Para mim, o que vem acontecendo é uma desvalorização dos serviços domésticos por parte de um pessoal que acha esse trabalho menor. Minha mãe é dona de casa e toda vida me incentivou a não seguir o mesmo caminho. Não que ela não goste, mas a sociedade é tão preconceituosa com essa escolha que ela prefere um destino diferente para mim. Não quero e nem tenho talento para viver das coisas do lar, mas tenho tentado aprender e visto um esforço de conhecidos para o mesmo. Fico feliz e acho a iniciativa importante. Tô muito revoltada? auhsuahsush

A noite acabou feliz. Como me aventurei uns dias na cozinha de um bistrot enquanto o NSC hibernava, aprendi algumas coisas (que vou vou compartilhar com vocês, lógico) e não fiz feio na comidinha. O pessoal aprovou. Tá aí a receita para que quiser tentar.

Penne ao molho bechamel de gouda e gorgonzola (fiz na doida, não sei quantidade de nada)

Ingredientes

manteiga

farinha de trigo

gouga, gorgonzola ou qualquer queijo que derreta da sua preferência

leite

creme de leite

pimenta do reino e noz moscada a gosto

Modo de fazer

Derreta a manteiga em uma panela e coloque o trigo – não muito, o suficiente para o molho ficar encorpado. Misture bem. Depois jogue leite e mexa tudo e se certifique que a farinha dissolveu. Tem que ficar um creme, queridos, sejam sensatos. Acrescente os queijos picados e mexa até ficar cremoso. O creme de leite vai no final. Uma pitadinha de pimenta faz bem. Não tinha noz moscada.  Jogue tudo por cima de um macarrão e pague de chef sofisticado. hahahahahaNós, sorridentes, sem fome e vivos. (Da esquerda para direita, Gilberto, Lilith, Breno, Bia – só chegaram depois pra filar a bóia. haha –, eu, Tiago e Luana).

 

Milenna Gomes

Criadora do NSC, Milenna é jornalista de gastronomia e mestranda em história da alimentação na Universidade de Coimbra. Recifense vivendo em Portugal. Críticas e sugestões: contato@naoseicozinhar.com

10 Comentários

  • Responder junho 18, 2011

    Elizabete

    Faltou alguém aih, neh?! ¬¬ uhaauhauhauh Apesar de ter chegado muuuuuuuuito depois desse babado todo…. Adorei o pratoo e recomendoo!! 😀 beeijoo mi

    • Milenna Gomes
      Responder julho 5, 2011

      Milenna Gomes

      Tu comeu brigadeiro. Tais no lucro. :*

  • Responder junho 18, 2011

    Aline Souza

    kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

    Adorei a história. Pois é, amiga, levamos mais talento pra portaria do que pro fogão. Mas, ó… eu acho que essa história de Milenna Gomes não saber cozinhar é a maior invenção, viu! Eu provei e aprovei os cupcakes e pelo visto esse Penne aí tava de molhar os beiços!!! O sr. Peres tá é bem na fita com esse casório! hsuehueshuheuse

    Beijoooooooooooos! =***

    • Milenna Gomes
      Responder julho 5, 2011

      Milenna Gomes

      Amigo é pra essas coisas! kkkkk

  • Responder junho 20, 2011

    Carol

    HAHAHAHAHAHAH!! bicho, ri demais com a história do gas, digo logoo!!
    Agora posso falar???? Esse negóciod e não saber quantidade de NADA acaba cmg. Oooras!! 😛 Mas como soube que ficou uma delícia, vou me arriscar a fazer, viu?

  • Responder junho 23, 2011

    Camila

    Bem que eu tento, mas não tem jeito de dar certo a minha relação com qualquer tarefa do lar. Ô coisa difícil. Já estou ficando desesperada em pensar que ano que vem vou dar conta de tudo sozinha. Minhas vindas por aqui serão mais frequentes. 😛

    • Milenna Gomes
      Responder julho 5, 2011

      Milenna Gomes

      Bia, cof cof…
      Um passarinho me contou que a senhora vai casar! Dá de comer pra marido não deve ser uma coisa fácil, mulher. Não sei cozinhar pra mim, quanto mais pra dois. kkkkk

      Aparece por aqui! Nem que seja pra compartilhar uma aventura na cozinha. Beijo

  • Responder julho 2, 2011

    Luana

    Miii, Ri horrores com esse post. hahahahaha. Adorei o detalhe da minha câmera ser de outro planeta. Ela realmente é, só Márcia Rejane que ainda não acreditou.

    Tenho que fazer algumas correções muito importantes: apesar de termos dois homens fortes em casa, quem conseguiu trocar o gás fui EUZINHA!! Um absurdo! Esses homens de hoje – a grande maioria – mal sabe fritar um ovo. O problema é que nem eu nem ninguém conseguiu apertar a mangueirinha pro negócio parar de vazar. A solução foi deixar Milenna de porteira por uns instantes. Tava vendo a hora de tudo explodir. Eu seria a primeira presuntinha da noite. :/ Mas, graças a Lula – o porteiro – tudo foi salvo. O penne saiu e estava deliciooooooso! A pimenta do reino foi improvisada. Não tínhamos moedor. Pancadas nas bolinhas da pimenta do reino! Essa foi a solução.

  • Responder julho 2, 2011

    Tiago

    Fui EUZINHO que dei pancadas nas bolinhas de pimenta do reino.

  • Responder julho 4, 2011

    Lílith

    Mi, que molho perfeitooo, amei! Apesar de todas as turbulências da noite. Precisamos marcar outro encontro em breve. bjaoo

Deixe um comentário